Imperador do Ipiranga

Grupo: Acesso
Fundação: 27 09 1968
Cores: Verde, Azul, Amarelo e Branco
Presidente: Eduardo de Lukas
Vice presidente: Carlos Eduardo B. Neves
Carnavalesco: Fabio Gouveia
Interprete: Adeilton Almeida
Mestre de bateria: Mestre Ninão
Diretor de carnaval: Comissão de Carnaval
Diretor de harmonia: Vagner Siqueira
Mestre sala: Junior Carraro
Porta bandeira: Suellen Amann
Rainha de bateria: Viviane Rodrigues
Madrinha: Adriana Lessa
Endereco: Av. Carioca, 99 - Vila Carioca, São Paulo - SP
Telefone: (11) 3467-0423
Comissão de Frente: Eliana Bel
História

A gloriosa Sociedade Escola de Samba Imperador do Ipiranga foi idealizada e fundada por Laerte Toporcov em 1968 junto com os moradores da Vila Carioca e da Vila Independência, dando aos moradores do Ipiranga o seu espaço no samba paulista, a Imperador permaneceu por muito tempo como um departamento da Sociedade Amigos das Vilas, mas com o tempo se separou, com estatuto próprio.

Localizada na região da maior favela paulistana, a Heliópolis, a Imperador do Ipiranga tem este nome em homenagem a Dom Pedro I, que declarou a Independência do Brasil no que é hoje o Bairro do Ipiranga. Seu fundador, Laerte Toporcov junto a comunidade, embora com posição contrária dos dirigentes mais idosos, tinha como objetivo dar lazer às crianças pobres da favela que existia na Rua Campante e chamar a atenção das autoridades para as terríveis enchentes no bairro.

Na primeira apresentação da escola, tiveram a idéia de fazer um desfile carnavalesco de protesto com carros alegóricos imitando barcos. A idéia deu certo, o desfile foi um sucesso, com muitos carros alegóricos e a participação de várias crianças pelas ruas da região.
 
Não foi fácil convencer as pessoas sobre a escola de samba, pois o conceito de sambista era muito ruim na década de 60. Os primeiros batuqueiros eram convidados lá da Vila Formosa para ensinar aos interessados da comunidade.
 
 O maior carnaval apresentado pela Imperador foi em 1972 com o enredo "Brincando na Passarela do Samba", um tema que mostrava os brinquedos de criança e que resultou em 98 pontos em um total de 100, fazendo a Imperador passar para o Grupo I, se colocando entre as maiores e melhores escolas de samba de São Paulo. Em 1998, a Imperador ingressa novamente ao Grupo Especial do Carnaval Paulistano, conquistando o título de Vice-Campeã do Grupo I. Uma curiosidade em sua história, ocorreu no carnaval de 1976, quando o jurado de Comissão de Frente esqueceu-se de dar a nota à escola, que acabou perdendo o título do Grupo 3. Ele esqueceu, nós não!
A agremiação já levou para a avenida vários temas, incluindo os fatos que marcaram o País, de 1889 a 1930, a história da mulher negra e os palhaços, em 2004, no desfile temático dos 450 anos de São Paulo, a Imperador esteve na elite do samba e fez um ótimo desfile, sendo muito elogiada pela imprensa, em especial pela nossa querida Lecy Brandão. 

Ano do enredo: 2017
Título do enredo: “Ipiranga, Berço Esplêndido de um Povo Heróico”
 
Ano do enredo: 2015
Título do enredo: "Oxente! Cabra da Peste. A Imperador Chegou Para Coroar a Nação do Nordeste"
 
Ano do enredo: 2014
Título do enredo: Os quatro deuses encantados sob as bençãos de São Caetano do Sul
Descrição do enredo:


Um dia  quatro deuses celestiais tiveram a missão abençoar e encantar as terras do futuro. Estes Deuses então foram em busca do local ideal para abençoar sua magia e a partir daí criar uma  história de paixões, lágrimas, conquistas e com certeza de um final feliz. Coroado pelo grande "Imperador" da  sabedoria seguiram seu destino na certeza de que a terra do futuro é aqui.

Tudo começou ali, no caminho da Serra do Mar, o proprietário de uma grande gleba, Capitão Duarte Machado sonhou em 1631 que suas lamacentas terras (Tijucuçu) se transformariam em uma cidade tão dourada quanto o Eldorado e tão brilhante quanto o Sol. Esta mensagem foi enviada por quatro deuses que protegeriam o local.

Duarte e sua esposa ofereceram, após o sonho, as terras aos monges de São Bento, certos de que o sonho era uma mensagem divina.

Os monges beneditinos aproveitaram a região para criação de gado, construindo também em 1717, uma capela dedicada a "São Caetano diThiéne", o santo padroeiro da fertilidade com ajuda de uma tribo de índio: os "agueobys", termo que significa "homens de plumagem azul". Era o Deus da Anunciação que se manifestava.

Vieram os negros africanos utilizados como mão-de-obra nas construções e também, vez em quando, aparecia o Imperador Dom Pedro II com sua esposa Tereza Cristina. Mais tarde, o contingente africano foi  substituído pelos imigrantes italianos. Surge a ferrovia que ligava São Paulo a Santos e a estação de São  Caetano foi fundada. O segundo Deus, das graças da liberdade, se apresentava e abençoava o crescimento e prosperidade do local.

Os italianos trouxeram as sementes de uma fruto originária da Índia, conhecido depois como "melão de são caetano", uma erva de propriedades medicinais. A criação do município era necessária e São Caetano virou cidade em 1948 graças ao "São Caetano Jornal" que criou um plebiscito junto a população da região.

A cidade crescia. A Igreja da Matriz virou símbolo e a sua volta ainda comemora-se uma das melhores festas juninas da região, com a tradicional e animadíssima quadrilha, barraquinhas e muitos visitantes.

Surgia também o primeiro cinema com o filme "Argila Humana" que contava a história do homem originado do barro. Não podemos esquecer o Teatro Municipal Santos Dumont, e sua primeira peça foi a tragédia grega "Átridas". Eis as bençãos do Deus das Artes e dos Campeões.

Os artesãos da cidade têm um espaço próprio para expor e vender suas criações, é a Casa do Artesão que estimula a produção artesanal sendo  um mecanismo do desenvolvimento econômico e de inclusão social.

Outro polo atrativo ainda em desenvolvimento é o Carnaval, onde as escolas de samba desfilam geralmente na Avendia Guido Aliberti, com muito brilho e raça de seus componentes.

São Caetano também tem um nobre filho: Arthur Zanetti.O atleta que compete em provas de ginástica  artística foi medalhista de ouro na modalidade de argolas nos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

O São Caetano Futebol Clube, famoso "Azulão" foi campeão paulista de 2004 e continua sendo uma das forças do futebol brasileiro.

A Orquestra Filarmônica da cidade até hoje busca sempre novos talentos e o Museu Histórico Municipal abriga cerca de 5 mil peças, dentre objetos pessoais de antigos moradores, ferramentas de trabalho, objetos de olarias e cerâmicas.

No seu Parque Industrial, São Caetano conta com importantes indústrias automobilística, siderúrgica e do ramo de tijolos. São as engrenagens do progresso.

O comércio é variado e o alto padrão de educação deixam seus habitantes orgulhosos. Está em primeiro lugar na lista dos municípios brasileiros por IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), não existem favelas e o analfabetismo é nulo.

Os monumentos da cidade são preservados pelo Rotary Clube que também investe na área social, para o bem estar da população. O Aquapolo, que consiste numa Estação Produtora de Água Industrial com a capacidade de produção de 1.000 litros de água de reuso por segundo, é um outro marco para o povo do lugar.

A Escola de Ecologia de São Caetano do Sul é uma referência em educação ambiental para a cidade e a região, conta com espécies da  fauna (aves e peixes) e flora (plantas ornamentais, medicinais, tóxicas, carnívoras, frutíferas, árvores nativas e exóticas) brasileira.

Com o Deus da Preservação e Memória, esta é São Caetano, protegida por deuses e enfeitada de parques e praças, de verde e de concreto. Mas um concreto furado por um linda flor que desabrocha hoje no  Anhembi no canto e na garra de nossa querida escola: Imperador do Ipiranga.

 
Ano do enredo: 2013
Título do enredo: "Ouviram do Ipiranga um grito de esperança"
Descrição do enredo:


Introdução

O trabalho infanto-juvenil é, hoje, uma preocupação mundial, o problema não atinge apenas os países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Trata-se de uma questão social de impacto direto na vida e relações humanas, e que atualmente tem sido foco de atenção por parte de toda a comunidade internacional, no sentido de identificar as causas e procurar soluções para a sua prevenção e erradicação, por ser uma questão importante na construção de uma sociedade mais digna, justa, solidária e igualitária. Enquanto isso, por toda parte, crianças ainda são incentivadas a começarem a trabalhar desde muito cedo para ajudar no sustento da família. Diversos fatores influem nessa concepção em relação ao trabalho, não só os de natureza econômico-sociais, mas também culturais. Estatísticas revelam números extremamente altos de ocorrência de trabalho infantil em todo o nosso país, ao passo que já são muitos os estudos científicos realizados na área da saúde que concluem ser o trabalho precoce altamente prejudicial ao desenvolvimento físico, psíquico e emocional das crianças. Nessa peculiar fase da vida, para a criança e o adolescente nossa lei confere o direito fundamental de não trabalhar, reconhecido na Constituição da federal e amparado pelo Princípio da Proteção Integral. Mesmo assim, o trabalho precoce permanece como uma realidade presa aos tentáculos da necessidade de busca pela sobrevivência. Neste contexto, este estudo tem por objetivo a análise, em breves notas, das causas e consequências do trabalho infanto-juvenil proibido. Inicia por uma abordagem histórica e de estatísticas, passando pelo estudo da legislação, para, em seguida, relacionar as principais estratégias e mecanismos existentes, bem como as diversas ações, planos e programas até hoje desenvolvidos no intuito de prevenir, combater e erradicar a exploração da mão de obra de crianças e adolescentes até 14 anos de idade, especialmente em âmbito nacional, esclareça-se, por oportuno, que este estudo não engloba em seu objeto o trabalho artístico mirim, nem o trabalho realizado por contrato de aprendizagem ou o trabalho educativo, por não integrarem o enfoque que se pretendeu dar à pesquisa. Igualmente, não se tem a pretensão de esgotar o assunto, até porque ele tem inúmeras causas, inclusive regionais, e uma dimensão extremamente ampla. Busca-se, contudo, fazer uma reflexão sobre esta importante questão que atinge toda a sociedade e que é um desrespeito aos direitos humanos.

Sinopse do enredo

1º SETOR - A FALSA ESPERANÇA

Em pleno século XXI, o trabalho escravo infantil no Brasil continua a nos preocupar. É uma realidade que persiste apesar do avanço da modernidade. A dignidade de milhões de crianças e adolescentes brasileiras está sendo desrespeitada e violada em se tratando de direitos humanos. Uma pergunta fica no ar: Quais são os motivos que nos levam a crer nessa realidade? Bom, temos que considerar o contexto histórico e social para podermos entender perfeitamente esse assunto. Do ponto de vista histórico, o trabalho infantil é um problema antigo, sendo comparado até com a escravidão nos tempos mais remotos. Ao invés de negros, africanos e índios, são crianças, adolescentes, meninos e meninas.

A monstruosa covardia que escraviza crianças que não possuem condições financeiras para poder viver com um pouco mais de dignidade, muitas vezes começa dentro de casa, os pais dessas crianças são "obrigados" a deixa-los trabalhar, na esperança de conseguirem um "dinheirinho" a mais no final do mês, pois por muitas vezes podem não ter o que comer, beber e vestir. Inicialmente só as crianças abandonadas em orfanatos eram entregues aos novos padrões para trabalharem como aprendizes. Com o tempo, crianças que tinham família seguiram o mesmo caminho. As crianças começavam a trabalhar por volta dos 6 anos de idade, o trabalho era muito cansativo, e o salário correspondia, em média, à quinta parte do que era pago aos adultos. A criança por não ter consciência do prejuízo que sofre ao realizar qualquer tipo de trabalho (que muitas vezes é imposto), se submete a funções designadas à adultos, com precárias condições de segurança e, principalmente, com prejuízos a sua saúde e desenvolvimento físico, moral e psíquico. Decorrente deste fato se torna comum, notícias relatando mutilações de variadas partes do corpo, levando a lesões irreversíveis ou ate fatais.
Os trabalhos mais comuns em zona rural são nas lavouras de cana, algodão, sisal, na citricultura e horticultura e na produção pesqueira, como também em carvoarias, pedreiras, garimpos etc. Não muito diferente dessa situação, a zona urbana reúne grande número de trabalhadores infantis que atuam em diversas formas no ramo da tecelagem, na produção de artesanato, nas indústrias de calçados e alimentos.

É grande a presença de crianças e adolescentes nos semáforos trabalhando como limpadores de vidros de automóveis, vendedores ambulantes, comercializando balas chocolates e frutas, e na arte de malabarismos diversos. E acima de todos os problemas ambientais, sociais e de insalubridade que o lixo ocasiona certamente é o mais ultrajante é a presença de pessoas que tem como ultima alternativa de sobrevivência o lixo, tornando-se catadores. Portanto, essas pessoas veem no lixo sua única alternativa, onde trabalha não só adultos, mas também crianças, adolescentes, que possuem sonhos, como ter sua moradia digna. Pela necessidade muitos abandonam a escola para ajudarem no orçamento familiar e do seu trabalho que se tem o sustento da família, o trabalho das crianças e adolescentes nas ruas faz com que elas se tornem presas fáceis para trafico de drogas, criminalidade e prostituição. Tanto o narcotráfico como a prostituição infantil são temas muito preocupantes nos dias de hoje, devido ao crescente número de marginalizados em meio à pobreza de nosso país. O que acarreta em um crescimento cada vez maior nos números referentes a esse tipo de delito, sim, pois o narcotráfico e a prostituição infantil são crimes reconhecidos pela nossa legislação, porem por muitas vezes essas crianças vivem uma situação de inversão e vão para aas ruas justamente por se depararem com essas situações no próprio lar. Embora o número venha diminuindo, nossas crianças clamam por ter assegurado o direito de ser criança, de brincar e sonhar - brincar cumpre na infância um papel muito maior do que a busca do prazer e da diversão. Muitas das perdas ao longo da nossa vida podem ser repostas ou substituídas em outra fase, mas a infância nunca poderá ser restituída a quem a teve roubada ou mutilada.

2º SETOR - EM BUSACA DA REAL ESPERANÇA

No que diz respeito à promoção e defesa dos Direitos da criança e do adolescente, o Brasil foi o primeiro país da América Latina - e um dos primeiros do mundo - a "acertar o passo" da sua legislação com o que há de melhor na normativa internacional. Tirar o Estatuto do papel é uma operação que, além de implicar mudanças no panorama legal dos Estados e Municípios, requer também um corajoso e amplo reordenamento institucional dos organismos que atuam na área.

O Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA - é um conjunto de normas do ordenamento jurídico brasileiro que tem como objetivo a proteção integral da criança e do adolescente, aplicando medidas, e expedindo encaminhamentos. O ECA foi instituído pela Lei 8.069 no dia 13 de julho de 1990. Ela regulamenta os direitos das crianças e dos adolescentes inspirado pelas diretrizes fornecidas pela Constituição Federal de 1988, internalizando uma série de normativas internacionais. Na sua imensa maioria, os Causos do ECA retratam um cenário no qual despontam vivências espantosas às quais crianças e adolescentes estão expostas: violência física e psicológica, falta de alimentação e higiene, abandono, omissão de tratamento médico, abuso sexual, desestímulo à escolarização e cárcere privado, entre outras. É necessário, como em quaisquer inferências sobre a relação entre pobreza e violação de direitos, compreender o contexto mais amplo em que essas famílias estão inseridas e como as estruturas desse contexto (social, política, econômica e cultural) atuam como condicionantes de seu modo de viver e de sua visão de mundo. Destaca que nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais. Toda criança tem direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos, têm primazia para receber proteção e socorro em qualquer circunstância. Têm também o direito de serem atendidas com precedência pelos serviços públicos de saúde ou de relevância pública. Toda criança e adolescente tem direito á moradia e alimentação adequada, não só a criança como a mãe. O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos: ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, ressalvadas as restrições legais; opinião e expressão; crença e culto religioso.

É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, ao lazer (brincar e se divertir num ambiente saudável), à educação (com direito a atendimento em creche, pré-escola à profissionalização) ao esporte, ao lazer, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

3º SETOR - O TRIUNFO DA ESPERANÇA

O governo e a sociedade estão unidos e já perceberam que prevenir é uma medida importante, muitos trabalhos nesse sentindo já estão sendo realizados, porém muita coisa ainda falta ser feita.

As Organizações Não Governamentais (ONGs) que atuam no combate a Exploração, Abuso Sexual e Maus Tratos de Crianças e Adolescentes no Brasil, têm apresentado com maior visibilidade, ações na área do "atendimento" às crianças e aos adolescentes submetidos à exploração, abuso sexual e maus tratos, Durante anos, instituições religiosas contribui para a construção da cidadania de crianças e adolescentes em situação de exclusão social, desenvolvendo ações educativas, mobilizando-os e estimulando-os no processo de novas relações com o mundo e a religião. O Fundo das Nações Unidas para a Infância - UNICEF está presente no Brasil desde 1950, liderando e apoiando algumas das mais importantes transformações na área da infância e da adolescência no País, como as grandes campanhas de imunização e aleitamento, o movimento pelo acesso universal à educação, os programas de combate ao trabalho infantil, as ações por uma vida melhor para crianças e adolescentes no Semiárido brasileiro.

Nos últimos anos, os focos de Trabalho Infantil diminuíram, mas o fato de crianças serem exploradas e violentadas em espaços invisíveis, com o doméstico, aponta necessidade de atenção especial. Mas é preciso romper com o pacto de silêncio, chega de tanto sangue inocente derramado, não encubra as situações de abuso e exploração contra crianças e adolescentes. Não se pode ter medo de denunciar. Essa é a única forma de ajudar esses meninos e meninas, denuncie, disque 100. "Paz e Amor", precisamos conjugar o verbo ver e dividir, o verbo ter e assumir e o verbo ser; Ai perceberemos que os milagres nos rodeiam e acontecem a cada instante..., porque nossas crianças e adolescente são credoras desses direitos, sem distinção de raça, cor, sexo, religião, condição social ou nacionalidade, quer sua ou de sua família. A família desempenha um papel de extrema importância no desenvolvimento do menor, uma vez que é através desta que se constroem pessoas adultas com uma determinada autoestima e onde estas aprendem a enfrentar desafios e a assumir responsabilidades. Esta deve assegurar a sobrevivência dos filhos, o seu crescimento saudável e sua socialização dentro dos comportamentos básicos de comunicação.

A família deve acarinhar e estimular as crianças e os adolescentes no sentido de transformá-las em seres humanos com capacidade para se relacionar competentemente com o seu meio físico e social, assim como para responder às exigências necessárias à sua adaptação ao mundo. É neste contexto que trazemos para este momento do nosso desfile as mães da Sé, como maior símbolo do que é ser família e ter esperança.
Acredite que á família é a esperança do triunfo dessas crianças e adolescentes, acreditamos que são tesouros e dádivas de Deus, acredite !!!

"Deixai as crianças e não as impeçais de vir a mim, pois delas é o Reino dos Céus"

Poema Dedicado a uma criança

A beleza de uma criança
Como é lindo um sorriso numa criança. O seu olhar brilhante, e sua alma cheia de esperança, numa vida radiante. Como é linda a sua inocência, a sua bondade e o seu divertimento, à medida que vai ganhando experiência nesta vida que voa ao ritmo do vento, como é lindo vê-la crescer sempre, mas, sempre a brincar, sem nunca deixar de aprender, o que mais tarde terá que ensinar.

Como é lindo ouvir o seu falar calmo, suave e inocente ao nos contar o que acabou de sonhar, sempre com uma alegria fluente. Como é lindo tudo isto existir, e nos encher o coração de esperança Que um novo futuro virá a sorrir, e com ele a felicidade de uma criança.

MONTAGEM DE DESFILE PARA O CARNAVAL DE 2013

1º SETOR: A FALSA ESPERANÇA: Um dos temas que mais geram comoção social é a exploração trabalhista e sexual de crianças e adolescentes, que atualmente ganharam maior repercussão devido ao sentimento de repulsa e a percepção de que vêm aumentados os registros desse tipo de violência no Brasil. As consequências desses crimes para as vítimas são muitas, tanto físicas quanto psicológicas. E a reintegração social desta criança ou adolescente geralmente é um processo complexo e lento. A violência familiar também pode favorecer a ação dos exploradores visto que muitas vezes o ambiente é de alcoolismo, drogas, agressões físicas e psicológicas, violência sexual e em muitos casos chegando a morte do menor, estes fatos são os principais motivos que levam crianças e adolescentes para as ruas como uma maneira de fugir da violência que sofrem em casa.

COMISSÃO DE FRENTE: A ESCRAVIDÃO QUE DOI NA ALMA MESMO NO VENTRE DA MÃE, POBRES COITADOS, JÁ NASCEM ESCRAVIZADOS PELA INTOLERÂNCIA QUE ASSOLA O MUNDO.

ABRE-ALAS nº 1: UM MONSTRO QUE AGARRA COM FORÇA !!! A MONSTRUOSA MALDIÇÃO DA EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL, AS CORRENTES DA ESCRAVIDÃO SO PRENDEM SEUS CORPOS. É A MENTE QUE FAZ LIVRE ESSAS CRIANÇAS.

ALA nº 1: O MONSTRO DA ESCRAVIDÃO A FORÇA FEZ O PRIMEIRO ESCRAVO INFANTIL, A SUA COVARDIA PERPETUOU-OS.

ALA nº 2: EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E PESQUEIRA A ESCRAVIDÃO NAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS E PESQUEIRAS

1º CASAL DE MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA: AGRESSÕES PSICOLÓGICAS A CRUELDADE QUE DILACERA O CORAÇÃO DESSAS CRIANÇAS

BATERIA (móvel): MENINOS E MENINAS DE RUA IMPASSE E DISSONÂNCIA NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ALA nº 3: A AMEAÇA DAS CARVOARÍAS E PEDREIRAS A SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE AMEAÇADA NO ARISCADO TRABALHO DAS CARVOARÍAS E PEDREIRAS

ALA nº 4: EXPLORAÇÃO INDÚSRIAL A MULTILAÇÃO NA EXPLORAÇÃO DO MENOR NAS INDUSTRIAS

2º CASAL DE MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA: EQUILIBRISTAS INFANTIS LUTANDO POR UMA VIDA DIGNA A CENA JÁ VIROU COMUM NOS GRANDES CENTROS URBANOS.

ALA nº 5: SEMÁFOROS (Passo marcado) CRIANÇAS E ADOLESCENTES SÃO EXPLORADOS NOS SEMÁFOROS DAS GRANDES CIDADES PELA PROPRIA FAMÍLIA

ALA nº 6: NOS LIXÕES DA VIDA ESSES MENORES SÃO EXPLORADOS NOS LIXÕES E FICAM SUJEITAS A DIVERSOS PROBLEMAS DE SAÚDE...

ALA nº 7: A TRISTE REALIDADE A EXPLORAÇÃO INFANTIL NO NARCOTRÁFICO E NA PROSTITUIÇÃO

2º SETOR: EM BUSCA DA REAL ESPERANÇA: Para que uma criança e adolescente se desenvolvam de forma saudável e tenha garantido seus direitos previstos na lei é importante que ela tenha estrutura e apoio, proporcionados por núcleos como a família, a escola e a sociedade. Quando um desses núcleos falha as consequências são muito graves, principalmente se for a família, pois o ambiente protetor é fundamental para a criança e o adolescente, que sem esta linha de proteção ficam vulneráveis. É importante reconhecer a atuação da sociedade civil, pois além das políticas governamentais, as organizações não governamentais atuam no combate, atendimento e reintegração social das vítimas e ocupam um papel fundamental no monitoramento das políticas públicas voltadas à proteção e garantia dos direitos infanto-juvenis.

ALEGORIA nº 2: ECA (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE) A NOVA GERAÇÃO DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS CONHECEM OS SEUS DIREITOS

ALA nº 8: SAÚDE TODA CRIANÇA TEM DIREITO Á ASSISTÊNCIA MÉDICA ADEQUADA

ALA nº 9: MORADIA EU QUERIA TANTO..., APENAS UMA CASA PARA MORAR

ALA nº 10: ALIMENTAÇÃO PARA TER UMA VIDA SAUDÁVEL, TODA CRIANÇA E ADOLESCENTE DEVEM SE ALIMENTAR BEM

3º CASAL DE MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA (Oficial): RELIGIOSIDADE LIBERDADE NA ESCOLHA DE SUA CRENÇA OU CULTO RELIGIOSO

ALA nº 11: BRINCADEIRAS DE CRIANÇAS (BAIANAS) DEIXEM AS CRIANÇAS BRINCAREM, ELA TEM ESSE DIREITO !!!

ALA nº 12: ESTUDOS (Ala das Crianças) LUGAR DE CRIANÇA E NA ESCOLA, ESTUDANDO !!!

ALA nº 13: ESPORTES PRATICAR ESPORTE, FAZ BEM PARA O DESNVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS

3º SETOR: O TRIUNFO DA ESPERANÇA: Com o crescente número de denúncias de exploração contra as crianças e adolescentes verifica-se que a sociedade e o Estado precisam unir forças para enfrentar esse grave problema, avanços significativos estão sendo conquistados, porém há muito a se fazer. O governo e a sociedade estão unidos e já perceberam que prevenir é uma medida importante, muitos trabalhos nesse sentindo já estão sendo realizados. Com a aprovação dos projetos de lei algumas lacunas serão sanadas para que a lei acompanhe a modernidade e possa punir de forma justa quem comete os crimes de exploração contra essas crianças e adolescentes. A preocupação com o tema vai além de punir os culpados, a intenção é reestruturar as crianças e adolescentes vítimas ajudando-os a deixar para trás tudo de ruim e recomeçar uma vida nova, mais humana e digna, com seus direitos respeitados.

ALEGORIA nº 3: PROJETOS ALTERNATIVOS TRABALHOS COMUNITÁRIOS DE ATENDIMENTOS A MENINOS E MENINAS DE RUA, ONDE ELES APRENDEM A FABRICAR UMA DIVERSIDADE DE PRODUTOS

ALA nº 14: ONGS PROGRAMAS DE ATENDIMENTOS POR ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS

ALA nº 15: INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS DEUS AJUDE ESSAS INSTITUIÇÕES RELIGIOSA, VOLTADAS À PROTEÇÃO E GARANTIAS DOS DIREITOS INFANTO-JUVENIS

4º CASAL DE MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA: UNICEF ESTRUTURANDO O PLANO NACIONAL DE ENTRENTAMENTO À VIOLENCIA CONTRA A CRIANÇAS E ADOLESCENTES.

ALA nº 16: NÃO Á VIOLENCIA CHEGA DE TANTO SANGUE INOCENTE DERRAMADO

ALA nº 17: DISQUE DENÚNCIA DENÚNCIE, AJUDE-NOS A ACABAR COM A EXPLORAÇÃO DESSES MENORES

ALA nº 18: PAZ E AMOR QUE A PAZ TRIUNFE SOBRE NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES E QUE O AMOR NOS CONDUZA...

ALEGORIA nº 4: O TRIUNFO DA FAMÍLIA. A FAMÍLIA É A ESPERANÇA DO TRIUNFO DESSAS CRIANÇAS, ACREDITAMOS QUE SÃO TESOUROS E DÁDIVAS DE DEUS, ACREDITE !!!

FIM

Carnavalesco Armando Barbosa

 
Ano do enredo: 2011
Título do enredo: “Na Arte e na Fantasia,no Esplendor de um “Bal Masqué”, Só quem é Arlequim, Pierrô e Colombina saberá entender”
Descrição do enredo:

Abertura

Eis que surge na Itália grupos de saltimbancos e malabaristas anunciando a chegada das trupes do teatro popular que com suas imensas carroças vão tomar conta das ruas e praças levando pra toda a população a arte do espetáculo da comédia, A Comédia da Arte.

A vida alheia, os costumes e maus costumes, a ironia, os encontros e desencontros cercados de intrigas e ciúmes; tudo é motivo pra satirizar, no improviso, a sociedade local, mas com deboche, sem agressão, nada que “pegue mal”, tudo é pura encarnação, e sempre com um final feliz, é pra fazer rir de gargalhar, nessa hora, preocupação e tristeza não cabem nesse lugar.

Na Arte...

É um estilo contagiante e que tem um trio que fascina: Arlequim , Pierrô e Colombina, esse é o trio principal, que conquista um palco monumental, onde o público era muito exigente com o artista, mesmo assim, se abrem para a “Comédia dell`Arte” as portas e as cortinas do Grande Teatro Renascentista.

E os personagens passam a ser inspiração para outras formas de arte, sendo manipulados como fantoches e marionetes. Arlequim, Pierrô e Colombina, também aparecem em desenhos a nankin, e saltam das telas e aquarelas renascentistas onde são retratados por pintores, desenhistas e aquarelistas.

No “Bal Masquê”...

Mas foi na cidade de Veneza, com seus gondoleiros e seu imenso canal, que no esplendor dos grandes bailes de máscara da nobreza, o trio se tornou à fantasia preferida dos foliões, o figurino principal. Assim, Arlequim, Pierrô e Colombina se viram, definitivamente, incorporados a magia e a história da festa do carnaval.

Um carnaval de máscaras venezianas, de uma beleza sem igual, que na noite dos mascarados, se perdem pra todos os lados sem ninguém saber o porquê. São vistas por todos os ares, pelas ruas, bosques e bares, pelas ondas azuis do canal, e no mistério das capas, e das máscaras que cobrem o rosto que não se vê, guarda-se o segredo do sexo e da posição social, ficando sempre no ar, a pergunta para adivinhar: Quem sou eu, Quem é você?

Na França...

Em outras cidades da Europa também aconteciam bailes onde o tema eram os três. Depois de passar por Veneza, se viram em meio ao luxo e a nobreza da corte do Rei francês, e não só do Luís XV (15), mas também do XVI (16).

Tornam-se personagens românticos, identificados com os símbolos e com as cores da paixão. Foi com muita sutileza, com ares de sedução, que se deu a história da lenda, quando o clássico triângulo amoroso surgiu. Deve-se o crédito a França, por ter sido, justamente, o lugar onde ocorreu essa mudança de perfil. Assim Pietro que era um bobo italiano enamorado, transformou-se na bela imagem do Pierrô francês apaixonado.

No início de um novo século, na “Belle Époque” em Paris, os bailes eram nos teatros, com um requinte sem igual, servindo como modelo para as festas carnavalescas da “Belle Époque” tropical.

Na Fantasia...

Arlequim, Pierrô e Colombina e, passam a fazer parte da cultura nacional e encontram, no Brasil, o cenário ideal, virando a fantasia constante dos foliões do nosso carnaval, principalmente nos grandes bailes de máscara que aconteciam no Teatro Municipal.

Foi nesse mesmo teatro, em 1922, que com a ousadia de uma nova linguagem, uma nova forma de arte se deu através do talento dos pintores, escritores e poetas modernistas. Nossa! Que beleza! Que surpresa! Vejam agora, é o trio enamorado, na inspiração dos artistas. Na poesia, na literatura, e até em pintura cubista.

Tornam-se personagens centrais dos antigos carnavais e ainda hoje brilham e reinam junto a Momo, aparecendo, com freqüência, nas fantasias dos foliões, na decoração das ruas e dos salões, e também, na dos coretos. Na composição das famosas marchinhas de carnaval, nas letras dos sambas de enredo, e nas alegorias dos desfiles de escola de samba, onde nunca foram escolhidos como o tema principal.

E é devido a essa linda trajetória, nessa história recheada de Arte, Esplendor, Romantismo e Fantasia, que eu agora convido VOCÊ. Vem junto com agente, vem brincar com euforia, vem ser o mais novo folião.

Vem ser Arlequim, Pierrô ou Colombina, não importa, vem pra ser o anfitrião. Nessa festa de magia, onde o lirismo contagia, acredite! É pra vencer! Se você tem alegria, vem brincar nessa folia onde, Só Quem é Arlequim, Pierrô e Colombina  saberá entender...

Carnavalesco, Marcello Portella.

 
Ano do enredo: 2010
Título do enredo:
Descrição do enredo:

Desde o surgimento de seu surgimento no universo, o homem sempre buscou o conhecimento em diversas áreas e não foi diferente com a história da medicina, levando-o a uma luta constante em prol da vida já que muitos morriam sem que houvesse alguma explicação.Assim faremos uma viagem ao tempo, para desvendar os segredos das antigas civilizações que colaboraram para o início de uma descoberta que mudaria o rumo de nossa história.Essa viagem começa no antigo Egito terra de deuses e faraós.

Por meios de descobertas arqueológicas descobriu-se que os povos da antiguidade como os egípcios, já realizavam operações complexas, fato este que comprova o grande desenvolvimento desse povo. Este povo fez grandes avanços na medicina, graças ao seu sofisticado processo de mumificação de corpos, por meio do qual muito conhecimento sobre a anatomia humana foi adquirido.Em diversos papiros encontrados em tumbas de faraós, são citados medicamentos e ingredientes o que demonstra a importância dos egípcios para o processo de construção da medicina. Além disso, os vestígios de ervas, e elementos tais como: urinas, semem e fezes, dissolvidos que serviam como analgésico foram apontados como comuns no processo de tratamento a doenças.

Os médicos egípcios segundo estudos eram chamados de Sunus (palavra equivalente a doutor). Os Sunus dividiam-se em três grupos de terapeutas, o primeiro grupo era o dos sacerdotes da terrível Deusa “Seckmet, acusada de ser a principal causadora de todos os males.O segundo grupo tinha uma visão ligeiramente diferente do assunto, para eles a doença não era um simples castigo da deusa, mas sim um banho de maus espíritos os quais eles tentavam exorcizar.Já o terceiro grupo é que parece mais se aproximar dos médicos como vemos hoje, pois recebiam instruções médicas da chamada ‘Per Ankh”que significa Casa da Vida, era a faculdade de medicina da época,onde era possível aprender todos os princípios conhecidos sobre o funcionamento do organismo humano.

Outra civilização que muito colaborou para a evolução da medicina foram os gregos. A civilização grega em seus primórdios utilizou-se da matemática egípcia e de sua astronomia, para fundamentar a filosofia e a lógica da medicina. Acreditavam na influência dos deuses nas questões relativas à vida e a morte.As doenças eram vistas inicialmente como um castigo divino, foi com Hipócrates à medicina adquiriu outro sentido, ele estabeleceu os passos principais a serem seguidos pelo médico, definindo uma metodologia de atuação.

Primeiro descobrir os sintomas, depois a doença, em seguida a tratamento adequado para o caso. Com o passar do tempo a medicina que antes era mágica, religiosa e empírica foi contraposta a uma medicina baseada em testes científicos e suportes teóricos para entender e interagir nos fenômenos que acometiam a saúde humana. O grande conhecimento que Hipócrates obtinha criou um tipo de fórmula conhecida como “Juramento Hipocrático” dado a seus alunos como ponto inicial em seus estudos onde ele ligava o divino ao racional e com um só objetivo a saúde do homem.

Foi através de Cláudio Galeno que o povo greco-romano vivenciou um grande avanço em estudos e pesquisas dos mais diversos males. Depois disso com a queda de Roma seguiu-se um período de trevas onde a igreja condenava as pesquisas cientificas comparando-a a charlatanismo. A igreja condenava as pesquisas cientifica, alegando que o homem deveria ter tolerância a dor em sinal de fé e salvação de espírito, tornado esse um período obscuro, onde a medicina obteve poucos avanços na Europa.

Porém grandes avanços são agregados a medicina neste período no Oriente Médio.No Renascimento cultural a medicina volta a progredir como ciência na Europa. Este período corresponde ao século XV e XVI, momento em que a invenção da imprensa e o interesse pelas pesquisas produziram um considerável impulso na ciência médica, reforçado pelo nascimento de uma escola de arte dedicada à investigação anatômica. Leonardo da Vinci, Michelangelo, foram grandes estudiosos do corpo humano, e Andréas Versalius se tornou pioneiro da anatomia científica moderna. No século XVII Wilhians Harvey fez uma nova descoberta o sistema circulatório do sangue.

A partir disso os homens passaram a compreender melhor a anatomia e a fisiologia.Já no século XIX o conhecimento ficou mais apurado após a invenção do microscópio acromático, com esta invenção Louis Pasteur conseguiu um enorme avanço para a medicina ao descobrir que as bactérias são as responsáveis por grande parte das doenças.Foi quando no início da primeira guerra mundial (1914-1918) que Alexander Fleming bacteriologista inglês, descobriu a penicilina um antibiótico que mais tarde salvaria a vida de milhões de soldados, que durante a Primeira Guerra sofriam com os ferimentos graves. Esta descoberta foi um marco para a época já que alguns anos mais tarde com a chegada da Segunda Guerra soldados já não sofriam como antes, pois houve um significativo avanço na criação de antibióticos e remédios tendo com isso um novo feito decisivo para a saúde humana e a expectativa de vida da população. Assim surge uma nova Era dos medicamentos um importante fator neste mesmo período que contribuiu para um número menor de óbitos foi o surgimento da Anti-sepsia, pois durante e após as cirurgias ainda morriam muitas pessoas pela falta de cuidados pré e pós operatórios.

Podemos observar que após a Segunda Guerra mundial  muitos foram os avanços na medicina posto que neste período de guerra o governo destinava muitos recursos para pesquisas nessa área.A alta tecnologia permitiu a descoberta de novos remédios, novas fronteiras, enfim novos modos de interpretação dos fatos. Ajudando o homem no conhecimento da nova medicina através do trabalho dos cientistas, que desenvolvem por meio de suas pesquisas medicamentos capazes de curar ou amenizar as enfermidades.

Temos “como exemplo o trabalho dos profissionais do ‘Instituto Butantã” que desenvolvem soros e vacinas imunobiológicas em prol da saúde humana. A tecnologia auxilia na descoberta de curas e formas de enxergar as  doenças abre-se  caminho para o Raio-x ,o Ultra-som e a Ressonância Magnética . Desta maneira é possível observar as grandes transformações ocorridas na medicina desde sua origem. Apesar dos avanços da medicina alopática muitos ainda recorrem a cura através das ervas, do curandeirismo, da espiritualidade e da medicina oriental para obter a sua cura buscando as suas verdades através da medicina alternativa.

Assim finalizamos essa viagem pela história da medicina desde quando as doenças eram vistas como castigo dos deuses até a visão que temos hoje. Os chamados “Anjos do Asfalto”, são exemplo de dedicação no intento de salvar vidas. Diariamente temos mudanças na área da medicina jamais imaginadas, como a cirurgia feita à distância por meio da Tele-Medicina uma realidade virtual, que facilita diversos, atendimentos. Dando ao homem a possibilidade de uma vida saudável outrora impossível. Desta maneira pode-se entender a medicina como a nobre arte de salvar vidas.  Fim
                                                
Autores do enredo:  -Anselmo Brito (Carnavalesco) -Ivan Pereira (Asst carnavalesco)   -Maria Gabriela S.M.C Marinho(Dra. e pesquisadora de medicina F.M.U.S.P) -André Mota(Prof.da História da medicina e coordenador do museu histórico USP) -Prof. Dr Chão lung wen F.M.U.S.P) -Dra Shirley de Campos (Autora do livro:Medicina Avançada) -Dr. Alexandre(Banco de Células Tronco) -Tânia Lippelt(coordenadora da tele-medicina USP) -Marisa lippet(Gestão de sustentabilidada tele-medicina USP) -Flavia de Bastos (MKT tele -medicina) 

Ano: 2017
Título do samba enredo: “Ipiranga, Berço Esplêndido de um Povo Heróico”
Letra:

O despertar de um sonho livre
No Ipiranga se fez brilhar
Quando ecoou o brado heróico de D.Pedro, o imperador
Foi do alto da colina que a luz
Do sol da liberdade despontou
E essa nação menina escutou pulsar
Um coração no peito de São Paulo
Ipiranga, berço cultural
Meus olhos se perderam no horizonte
Este quadro é o cenário que pintei no carnaval

Venham ver, toda cidade está em festa
E a minha escola manifesta
O orgulho do Ipiranga ser

Palco de estrelas e astros geniais
Cartão postal cantarolado em verso e prosa
Arquiteturas tão monumentais
O patrimônio secular é tua história
Portas abertas a imigração, abrigo aos filhos do sertão
Fascinante é fazer destas tuas glórias
Toda minha inspiração
E no planalto, um orgulho teu brilha também
Abençoado é o teu chão, meus parabéns!

O meu canto levanta poeira
O samba é a minha bandeira
Essa arte de bamba me coroou
Cabeça feita, sou Imperador.

 
Ano: 2015
Título do samba enredo: "Oxente! Cabra da Peste. A Imperador Chegou Para Coroar a Nação do Nordeste"
Compositores do samba enredo: Vinicius Morello, Jackson Silva, Rodrigo Xará e Buiú
Letra:


Olho pro céu
"Vixe Mainha", como é lindo esse lugar
É noite de "Arraiá"
Vem cair na dança, escolha seu par
Meu samba embala o baião
Poetas são inspiração
Terra de gente feliz!
Gigante pela própria natureza
Vou celebrar em oração
A minha devoção
 

Oh pai olhai por nós!
Eu sei que escuta minha voz
Teu povo hoje está em procissão
Abençoai os filhos desse chão
 

Miscigenou, e assim surgiu
A raça dessa gente tão festeira
Lendas e mistérios fascinantes
Da nossa cultura brasileira
Luar clareia! Histórias vou contar
Esse é meu jeito de ser, não posso negar
(Minha escola vai passar)
Bate tambor, faz o corpo vibrar
A bateria é de arrepiar
Hoje a Imperador vem pra coroar
 

Vem fazer a festa...Amor
O Ipiranga chegou...Que emoção
É do nordeste, cabra da peste
Meu coração

 
Ano: 2014
Título do samba enredo: Os quatro deuses encantados sob as bençãos de São Caetano do Sul
Compositores do samba enredo: Maradona, Turko, Paulinho Miranda, Ricardo Netto, Diley Machado, Macaco Branco e Paulo Filosofia
Letra:


A luz que surge no Céu
Conduz meu povo fiel
Que vem agradecer Quatro Deuses Celestiais
Nossas belezas naturais
Com a benção divina
Rumo à Serra do Mar
Um sonho "Eldorado" brilhou
O Monge a capela criou
Muita fé no santo em louvação
Negro...Axé, trabalho e escravidão
O imigrante chegou trilhando esse chão

Ora Yê Yê O Mamãe Oxum
Axé! "Pra" nossa cidade
Na Igrejinha da Matriz tem "Arraiá"
Hoje eu vou me acabar

A "Arte" no cinema em cartaz
Abrem-se as cortinas no Municipal
E o povo na rua brinca o Carnaval
No esporte orgulho, medalha no peito
Em campo "Azulão": Paixão e respeito!
Na orquestra sopram notas musicais
No Museu estão histórias imortais
Grande parque industrial, preservação ambiental!
Não troco a minha vida por qualquer lugar
Amor incomparável não dá "pra" explicar
É você...O meu cantinho de viver!

Imperador vem coroar, emocionar!
Salve São Caetano seu povo gentil
Cidade futura do meu Brasil

 
Ano: 2013
Título do samba enredo: "Ouviram do Ipiranga um grito de esperança"
Compositores do samba enredo: Xavier, Turko, Maradona, Cris Vianna, Lô Rosas e Mirão
Letra:


Eu preciso muito de você
Por que me escravizar
Seduzir, me explorar?
Deixe me viver...
Seguir naturalmente o meu caminho
Não me negue o seu carinho, por favor!
Sou um pássaro no ninho
Que pra voar "Tem que crescer"
Afasta esse monstro que me assola
Que me tira da escola e me faz sofrer

Direito é ler, escrever
Saúde, esporte, cultura e lazer
Além do horizonte... ver a liberdade
Brincando na fonte da felicidade

Hoje, dentro da comunidade
Vivo a realidade dos projetos sociais
Senhor! peço a sua proteção
Tenho fé e acredito no "futuro da nação"
Para a violência diga não
Vamos dar um fim na exploração
Criança! tem a magia no olhar
A alegria de contagiar
Nossa família, o nosso lar
Sempre em primeiro lugar

Um grito do Ipiranga ecoou
Trazendo paz, esperança e amor
"Só quem é" tem no coração
A Imperador!

 
Ano: 2011
Título do samba enredo: “Na Arte e na Fantasia,no Esplendor de um “Bal Masqué”, Só quem é Arlequim, Pierrô e Colombina saberá entender”
 
Ano: 2010
Título do samba enredo: 'Da antiguidade à tecnologia: medicina, a nobre arte de salvar vidas'
Compositores do samba enredo: Edson Liz, Fredy VS, Tuca Maia, Alexandre RN, Drigo, Fábio e Gilberto
Letra:

A roda do tempo girou e me levou Pra reviver uma história milenar
No Egito floresci e combati o mal
Um castigo provocado pelos deuses...
Ganhei pai, virei ciência, as descobertas foram consequências
Nas grandes civilizações cresci
Transformações enfrentei
Sob o olhar de um juramento caminhei

Na força da fé, a luz da salvação, me condenou à escuridão
Em busca da cura eu renasci
A obra do artista iluminou
Mostrando ao mundo meu valor

Vamos doar de coração
Pro amanhã ser mais feliz
A um irmão dar vida
Num gesto de amor e união

Lutei nas guerras, venci epidemias
Eu vi o homem de mãos dadas com a tecnologia
Guiada por mentes brilhantes despontei
Sou alternativa para o bem estar

Célula mãe é esperança de um novo alvorecer
A mão divina conduz os anjos da salvação
Sou a medicina, sublime é meu dom de curar
E no girar da coroa vou brilhar...

O meu samba é arte é paixão
Ipiranga é o berço da emoção
Sou a luz do criador
Iluminando a Imperador

Notícias
 
Mais resultados para busca por: Imperador do Ipiranga
0
SOSAMBA.COM.BR | COPYRIGHT © 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS