Tom Maior

Grupo: Especial
Fundação: 14 02 1973
Cores: Vermelho, amarelo e branco
Presidente: Luciana Silva
Vice presidente: Mauricio Silva
Carnavalesco: Claudio Cavalcante (Cebola)
Interprete: Rene Sobral
Mestre de bateria: Carlos Alves – Mestre Carlão
Diretor de carnaval: Babalu e Marcus Campos (departamento)
Diretor de harmonia: Yves Alexeiv e Gabriel Ferreira (Gabirú)
Diretor de barracão: Renato Junqueira
Mestre sala: Jairo Pereira
Porta bandeira: Simone Gomes
Rainha de bateria: Pâmela Gomes
Madrinha: Andréia Gomes
Endereco: Sede Social - Rua Sérgio Tomas 622 - Barra Funda
Telefone: Barracão - Rua Sérgio Tomás, 22 – Bom Retiro
Comissão de Frente: Alex Morenno
Telefone: 11 3494-9040 - 3331-3049
História


Tom Maior, vitória da luta e da resistência

A história oficial da Tom Maior é cheia de episódios de luta.

O que faz com que uma escola de samba sobreviva tantos anos sem sede própria, sem recursos, sem apoio institucional, a não ser aquele de época de carnaval?

TOM MAIOR foi fundada em 14.02.73.

O que unia e agregava as pessoas que criaram Tom Maior?

Não é fácil responder esta pergunta...há muitas respostas ...os tempos eram outros...a região de pinheiros não tinha nenhuma escola de samba...

As ruas  do bairro foram durante muitos anos o palco para os ensaios da escola de samba Tom Maior, que teve sua primeira sede social em plena Rua Oscar Freire, ensaiando ao lado, na antiga FEIRA MODERNA, espaço onde hoje está exatamente a estação do Metrô Sumaré.

Estas ruas abrigavam muitos moradores que não só apoiavam, como também desfilavam na época do carnaval, eram costureiras, advogados, poetas, marceneiros, pedreiros, músicos, artistas, estudantes, bancários, feirantes, médicos, etc...

Com o passar do tempo, a Tom Maior foi se tornando uma referência cultural importante na zona oeste de São Paulo. Vinha gente de todo lugar, lá das “bandas” do rio pinheiros e de outras “bandas” também. Contribuiu para expandir na cidade o espaço da cultura popular, aquela espontânea que faz parte das raízes de nossa história e que apesar do tempo e dos contratempos teima em manter-se viva...

Estas ruas não são mais como eram. Hoje temos as marcas da evolução: além dos edifícios, a avenida Sumaré rasgou as ruas e trouxe o metrô, com viadutos e praças, transformando não só o espaço físico, mas também as vias de relação entre as pessoas, e mesmo assim lá estava a Tom Maior ensaiando...

A Tom Maior continuou como uma via permanente destas relações...continuou viva na região e conseguiu sua sede para ensaios e administração nos baixos do Viaduto da Rua  João Moura!

É uma marca profunda da luta contra a indiferença que define tão bem o modo de vida numa grande metrópole e num grande bairro.

O bairro e a cidade que é berço da Tom Maior precisava “enxergar” sua escola de samba. A escola de samba é um fenômeno urbano, é um fenômeno da cidade, tradicional e moderna.

Não é uma escola de samba comum nem na sua localização, e porque todos que dela participam ensinam, aprendem e respeitam...

Hoje, depois de muito mudar e depois de tanta perseguição, consegue uma quadra de ensaios ainda no Bairro, mesmo que mais próximo do Rio Pinheiros...quase exclusa de sua região de origem, mas com conforto, qualidade e requinte...necessário para agregar e receber seu seleto público e todos os demais que queiram chegar e participar!

Através da parceria com a empresa FS Eventos consegue transformar e reformar o antigo Projeto Equilíbrio na ARENA TOM MAIOR, sendo considerada uma das melhores e maiores quadras de ensaios da atualidade.

O NOVO ESPAÇO DE ENSAIOS!!!

A Tom Maior, por ironia do destino perde mais uma vez sua quadra, desta vez  para a construção de um complexo de prédios comerciais em Pinheiros e também no espaço da Barra Funda.

E inaugura nova peregrinação à espera de reconquistar seu espaço e voltar ao bairro de origem!

Ano do enredo: 2017
Título do enredo: “Elba Ramalho canta em oração o folclore do Nordeste”
Descrição do enredo:

Sinopse

Um livro mágico encantado de cordel
Surgiu num chão de giz, rachado do Nordeste
Cordas, Gonzaga e afins
É noite.

Céu coberto de estrelas
Partiu Doce Menina, desbravando o sertão.
Sertão de Asa Branca, meu alazão
Bateu Asas e voou, voou…
Linda flor da Paraíba!
Rojões, fogueiras e balões
Na festa do interior, viva São João
Fole da Sanfona…toque sanfoneiro…
Que o povo quer dançar nesta noite de Luar
Ave Maria sertaneja, rogai por nós
Minha fé singela em devoção
O meu canto em oração
Ó mãe divina faz chover no Sertão
Padre Cícero Romeiro festejo e romarias
O palco é meu Habitat
Dos reizados nos terrenos do sertão de Piancó
Me encantei com as lendas e o som dos tambores
Atriz me tornei - Morte e Vida Severina
Elba Ramalho reina a “Cantriz”
Nordeste meu divino palco
No Sertão, tum, tum, bate meu coração
Ciranda da Rosa Vermelha
No Nordeste do Brasil tem magia popular
Quando o vento sacode a cabeleira.
As vozes anunciam a Rainha do Frevo e do Xaxado
Elba Ramalho vai cantar e encantar
Em Recife e as batidas de Bondos são Maracatus Retardados
Com seus estandartes no ar
Viva o Bumba meu Boi
“Chineladas”, vou cantar o Xenhenhem
Rainha, quem sabe Embaixatriz
Do cangaço nordestino atacando de “Zanzibar”
No nordeste com o sertanejo fez folia
No Carnaval fica a Poesia
Num Pano de guardar confetes
Surge nossa doce Colombina
Nesse cortejo de felicidades
O Carnaval pede passagem
Pra mulher cabra da peste Elba Ramalho
Em oração canta o folclore do nordeste
Toque sanfoneiro…Forró, frevo e xaxado
Toque bateria Tom Maior é só alegria
No coração dessa gente tão brasileira e tão nordestina
“Aquarela Nordestina”

 
Ano do enredo: 2016
Título do enredo: Travessias de Milton Nascimento. Todo artista tem de ir aonde o povo está...
 
Ano do enredo: 2015
Título do enredo: "Adrenalina"
 
Ano do enredo: 2014
Título do enredo: “Foz do Iguaçu - Destino do Mundo a Sinfonia das Águas em Tom Maior”
Descrição do enredo:

 

FOZ DO IGUAÇU:
DESTINO DO MUNDO – SINFONIA EM TOM MAIOR

O som que se ouve na mata a murmurar
É a voz nativa que a lenda fez surgir
Dizem que um dia os olhos da bela Naipi
Encontraram os do bravo guerreiro Tarobá
E do encontro explodiu um grande amor
Que geraria ódio, ciúme e muita dor
Pela ira do inimigo despertar

Pois Naipi havia sido prometida
A M’Boi, o terrível deus serpente
Que destruía tudo pela frente
Era a forma de vida mais temida
Mas o que fazer diante da ameaça?
Para escapar dessa eminente desgraça
Fugir pelo rio Iguaçu era a saída

Os amantes partiram conforme planejado
Mas o poderoso monstro os descobriu
M’Boi com toda fúria ali abriu
Diversas fendas sobre o rio navegado
Dizem que assim nasceram as cataratas
Naipi virou rocha entre as cascatas
Foi Tarobá em palmeira transformado

A lenda que ali fez a morada
Traduz todo o poder da natureza
É o mito que explica tal beleza
De uma paisagem que de fato é encantada
E a passarada que ali entoa um canto
É a trilha sonora do espanto
Do espanhol pioneiro na empreitada

Mais tarde veio a ocupação
Um pedacinho cá na terra lá do céu
As águas que formaram um imenso véu
Abençoaram os habitantes desse chão
De muitas terras vieram imigrantes
Gente de países tão distantes
Fizeram de Iguaçu o seu rincão

“Nos rios se confundem as nações”
Como canta em louvor seu belo hino
É brasileiro, paraguaio e argentino
A mistura onde se banham os pavilhões
E ergue com orgulho a bandeira
De exaltação à tríplice fronteira
Mas é verde e amarelo o seu destino

Assim como é brasileiro de verdade
O jeitinho nosso de comprar
É muamba que vem de lá pra cá
Viajando pela Ponte da Amizade
Na sacola, um mundo de produtos
Verdadeiros ou falsos atributos
“Lembrancinhas” que aqui vão se espalhar

E se o jogo no país é proibido
Logo ali tem cassino a noite inteira
Bem do outro lado da fronteira
Arriscar a sorte é permitido
Fortunas que se vão numa jogada
Ou se erguem na roleta desvairada
O tilintar das moedas é ouvido

E a força das águas se descortina
Sobre o leito do rio Paraná
É a luz de um gigante a gerar
A energia que a dois países ilumina
Assim nasceu a grande Itaipu
Trouxe o progresso para Foz do Iguaçu
Obra humana que tem a mão divina

Diante de um cenário colossal
As vozes compõem tal painel
Uma imensa Torre de Babel
Ecoando em pleno Parque Nacional
Mas se calam diante da beleza
Do esplendor maior da natureza
A maravilha que se transforma em carnaval

E hoje rufa a nossa bateria
É mais uma voz feliz que se levanta
Para exaltar a Foz que se agiganta
De Iguaçu vem uma bela melodia
É batuque, canto e muito mais
E com orgulho meu povo é quem faz
Em Tom Maior, a mais linda sinfonia!!

Mauro Quintaes
Carnavalesco

 
Ano do enredo: 2013
Título do enredo: Parque dos Desejos – O Seu Passaporte para o Prazer
Descrição do enredo:

 

A Tom Maior, prazerosamente  convida você a conhecer o Parque dos Desejos, em uma viagem pelo universo da imaginação. E através da fantasia, percorrer os caminhos deste parque temático, onde cada atração irá revelar curiosidades deste mundo do prazer.

Prazer é uma sensação de bem-estar, na maioria das vezes de alegria.

É a resposta do organismo ou da mente, indicando um pleno estado de satisfação. Universalmente presente e oculto em todos nós, que pode ser atingido de várias maneiras, sendo o maior de todos eles o prazer sexual.  Admirável fonte de felicidade e desejo.

Ao adentrar o parque, permita aventurar-se por épocas distantes, por mundos exóticos e surpreendentemente fantásticos. Em que o real, e a ficção vão se misturar aos desejos e delírios mais íntimos da mente humana.

Vamos lá…..

Agora vai poder se divertir e curtir as mais diversas experiências.

Pegue seu passaporte de entrada no parque que é um preservativo, o modo mais seguro para se divertir nesse mundo de tentações. Símbolo de preservação da vida e sua credencial para o mundo lúdico do prazer.

….passaporte na mão?

Carimbe, passe pelo Portal Mágico e desperte todos os seus desejos.

Aproveite!

1ª Atração: PECADO ORIGINAL

Abaixe a trava de segurança do brinquedo, feche os olhos e permita-se a viajar…..

Agora você está no Èden.

Tudo é encantador. O sol brilha em sua plenitude. No céu pássaros a bailar.

Na terra flores, frutos, animais,… a imagem do éden.

Adão e Eva, os habitantes desse lugar. Foram criados por Deus e viviam as delícias do paraíso até o momento em que apareceu algo inesperado para eles: a presença de uma serpente.

A inocente Eva então seduziu-se pela “conversa convincente” da espertalhona cobra sedutora, e sendo a tentação uma insinuação mentirosa, ela deixa-se conduzir pela mentira, comendo o tal fruto proibido.

…Estava consumado o primeiro impulso do prazer, o “Pecado Original”. Segundo Gênesis!

2ª Atração: MUNDO JURÁSSICO

Vamos retroceder milhões de anos, e desbravar os primórdios da África Central; onde foi encontrada a primeira espécie humana. Esta diversão vai nos remeter à pré-história do “acasalamento”, período jurássico, onde gigantescos animais dividiam o espaço com os primatas do pedaço. E que a arte pré-histórica, da qual grande parte tem conteúdo sexual explícito, revela o clima de prazer dos primeiros homens da terra e hábitos que faziam a cabeça da humanidade que habitou o planeta entre 2 e 4 milhões a.C.

3ª Atração: CARRUS NAVALIS

Atenção: Antes de entrar coloque o seu colete salva vidas. Nesta atração vamos embarcar no Carrus Navalis e singrar os mares do tempo rumo à Roma Pagã, dos palácios de luxuria e das termas do prazer.

Uma época em que festejar, cantar, dançar, rir, é exibir orgulhosamente seu amor pela vida e pelos prazeres da carne. É celebrar a festa da uva brindando em estado de felicidade total “o nascimento do sol invencível em floradas primaveris”em honra à Baco, o deus do vinho. Época em que relatos mitológicos atribuem ao preservativo um método contraceptivo, sinônimo de diversão e incremento no relacionamento. O  nome “Camisa de Venus” é uma homenagem à deusa da beleza, do amor e do erotismo. Nesse clima, surgem os primeiros preservativos e géis, para apetitar ainda mais esses momentos de puro prazer.

4ª Atração: MIL E UMA NOITES DE PRAZER

Quer jogar a rotina para longe e se esbaldar no verdadeiro prazer da alma?

Se a resposta for sim, então vai adorar a próxima atração. Bastam palavras mágicas… “mil e uma noites”, para nos transportar à um mundo deslumbrante dominado por gênios, tapetes voadores; onde reis, príncipes e princesas, provam de prazeres sensuais refinados e eróticos no harém de suntuosos palácios. É neste cenário que Sherazade se entrega as mil e uma noites e pela narrativa, escapa da morte entregando-se ao prazer de narrar o mujun – a arte árabe de narrar o erótico. E com este dom, o da narrativa, nos revela os segredos do oriente, buscando na China, no Japão, as respostas sobre a verdadeira elevação do espírito. E mais, encontra a plena satisfação, contida na maior obra literária do gênero, o Kamasutra – o grande manual indiano do prazer! Envolvido pelos odores e sabores do oriente, é que há mais de três mil anos, era fabricado uma versão do preservativo feito a partir de tecidos ou papel de seda, umedecidos em óleos lubrificantes. E mais, nesse tempo verificou-se a primeira menção de preservativos femininos feitos com produtos de origem vegetal.

5ª Atração: FREUD EXPLICA !

Apertem os cintos, se preparem para entrar na última diversão do parque. O seu coração vai pulsar mais rápido com fortes sensações. Estamos à procura do elixir do prazer eterno, guardado em fórmulas mágicas e afrodisíacas. Isso funciona mesmo, ou será tudo coisa da nossa imaginação?

Percorreremos a mente humana, sob o comando de Freud, o pai da psicanálise que já dizia em seus pensamentos que “a sede de conhecimento parece ser inseparável da curiosidade sexual”.

Vamos desvendar o prazer oculto e conhecer os desejos mais íntimos, as fantasias mais secretas. Sem qualquer preconceito, onde os opostos, ou não, se atraiam e estejam abertos a qualquer experiência! E se o maior dos prazeres é uma diversão, então divirta-se  e usufrua dos benefícios que as camisinhas oferecem para incrementar seus fetiches. Envolva-se às sensações, texturas, cores e sabores. Estimule sua imaginação!

Vá, entre na fila novamente e brinque nas atrações quantas vezes quiser, mas lembre-se:  - Seja Prudente Sempre! Previna-se de todo e qualquer mal!

Ao sair do Parque, você ganhará outro passaporte, afinal de contas, nunca se sabe quando vai querer voltar para desfrutar desse delirante mundo do prazer!

Divertiram-se?
Espero que sim!
Marco Aurélio Ruffinn

 
Ano do enredo: 2012
Título do enredo: Paz na Terra e aos homens de boa vontade
 
Ano do enredo: 2011
Título do enredo: “Salve salve São Bernardo, pedaço do meu Brasil – Terra Mãe dos paulistas!”
Descrição do enredo:

JUSTIFICATIVA:
  
Carnaval! Tempo de folia!

A Tom Maior faz uma homenagem a São Bernardo do Campo, pedaço do meu Brasil, que tem a sua história como símbolo da nossa história.
A cidade detém este nome em honra a São Bernardo de Claraval, santo patrono da cidade situada à borda do campo.
Este povo miscigenado, ingênuo, simplório, colonizados e catequizados pelos jesuítas tem como exemplo homens, desde um fenômeno de bilheteria como o Mazzaropi, na companhia Vera Cruz, como tantos outros.
Aparecem grandes homens, bravos protetores das áreas dos mananciais, muitos intelectuais, pessoas ilustres na vida artística, jornalistas, nos esportes, berço da luta sindical, também elegem após anos de ditadura, um metalúrgico surgindo da massa popular presidente do Brasil:  “Lula-lá”

Tem esta cidade em seu brasão a frase:
“Paulistarum Terra Mater.” – (Terra Mãe dos Paulistas)

Alavanca de um povo que não se rende aos obstáculos, vencendo barreiras sociais, sindicais, governamentais dando sempre o primeiro passo.

“Por isso é que no peito bate mais forte o nosso coração”.
  
Chico Spinosa


“Salve Salve São Bernardo,
Pedaço do meu Brasil -
Terra Mãe dos Paulistas”


1º setor: Um pouco de história...
“Na trilha dos Tupiniquins”
 
Um pouco de historia...
Tudo começou em nome de Deus e na união de homens fortes, determinados, colonizadores, que saindo do litoral, hoje São Vicente (Tumiaru) pelo caminho do mar (Serra do Mar).
 Trilhando o caminho usado pelos Tupiniquins, atravessavam por meio das matas tétricas, caminhos de difícil acesso, com despenhadeiros medonhos que dificultavam muito a subida para o campo, o planalto, ou melhor, para a aldeia de Piratininga.
Esta terra era dos Guaianases da tribo dos Tupis onde nasceu o Cacique Tibiriçá.
Grande guerreiro, caçador de coragem assombrosa e dominador, conhecido como “VIGILANTE DA TERRA’’, era um rei que tinha como “cetro a flecha e  coroa as penas coloridas”.
João Ramalho havia anos que chegara de Portugal e se unira por um grande amor à bela Bartira, filha do Tibiriçá sendo de suma importância na colonização, servindo de interprete, apaziguador entre índios e Martim Afonso de Sousa, homem de confiança do rei de Portugal D. João III enviado para explorar e reorganizar o litoral sul da província, fundando S.Vicente e no planalto as vilas de Piratininga, Santo André e São Miguel.
João Ramalho foi nomeado como capitão da Fronteira-Mor para chefiar a defesa coletiva do planalto e se localizou onde termina os campos do planalto, a borda do campo, vilarejo Santo André da Borda do Campo.
Da perpetua aliança que se juntaram os interesses entre Martim Afonso de Sousa, João Ramalho, jesuítas, mamelucos, escravos e o cacique Tibiriçá (1º cidadão de São Paulo, hoje enterrado na catedral da Sé) nasce a “Paulistarum Terra Mater” ;
 TERRA MÃE DOS PAULISTAS.

Após alguns anos esta vila passa por um período de grande estagnação sendo transformada em uma sesmaria doada por seu provedor os monges beneditinos do Mosteiro de São Bento.
Terras transformadas em duas grandes fazendas, a de São Bernardo e São Caetano.
A população que ali vivia manifestou a vontade de erigir uma nova capela, que após a transferência da sede da vila da margem esquerda para a outra margem do Ribeirão dos Couros (hoje Ribeirão dos Meninos) surge a igreja matriz abençoada pelo padroeiro "São Bernardo do Claraval”, doutor da Santa Madre Igreja.
Este foi o ponto inicial dos núcleos urbanos do município de São Bernardo, pois de lá eram traçadas as primeiras ruas do município da Estrada Geral de Santos (Caminho do Mar ou do Vergueiro), local de passagem para aqueles que do Planalto se dirigiam para Santos, em especial os tropeiros e os negros escravos.


2º setor; imigração...
“Formação de um povo.”
 
Anos depois...
Velhas fazendas, novos caminhos!  É instalado o núcleo colonial de São Bernardo nas terras que foram desapropriadas da fazenda dos Beneditinos.
É notória a predominância dos imigrantes portugueses e italianos no fim do século XIX e início do século XX, contribuindo bastante para ampliar a miscigenação.
Planta-se, colhe-se, fabrica-se, produz-se... O cultivo da terra é intensificado, assim devastam-se os campos, derrubam-se as matas, alargam-se as estradas, são corrigidas as calçadas.
Vilas e casas são construídas com a expansão da madeira. Produz se tacos móveis e também carvão. Registra-se a tendência industrial da vila, cresce a indústria têxtil e o grande pólo moveleiro produzido pelos imigrantes europeus.
Os caminhos se proliferam não só como passagem, mas como expansão do processo de urbanização, os bairros vão formando e se desdobrando.
Os espaços do povoado se transformam e assim vem a mudança da paisagem em cidade. Com a abertura da ferrovia São Paulo Railway ligando São Paulo a Santos, ocorre o abandono da Estrada Geral de Santos, inicia-se um crescimento muito grande, acelerado, com implantação de indústrias no município de Santo André e São Bernardo torna-se distrito.


3º setor: tempos de progresso...
“Natureza, água e serra do mar”

O tempo passou...
No quesito natureza esse território era formado por uma Catedral, com sua serra, flora, fauna, sendo coroados com magníficos mananciais de onde os indígenas tiravam a sua subsistência.
Novos tempos. Tempos de progresso!
A implantação do reservatório Billings, com a construção da Barragem de Pedreira, formou o maior reservatório de água para consumo da América Latina. Foi construído para o abastecimento e aproveitamento das águas da Bacia do Alto Tiete gerando energia para Baixada Santista e região da Grande São Paulo. A construção da represa beneficiou milhares com empregos (na maioria portuguesa) e abrigou mais de 500 famílias de pescadores que tiravam para seu sustento toneladas de peixe por dia.
Com a cheia da represa parte das terras não atingidas passaram a ser conhecidas como Eldorado, abraçada por uma densa vegetação.
A represa Billings oferece para os habitantes da grande São Paulo uma opção de lazer, turismo para a prática de esportes náuticos, como vela, Wind surf, Jet-ski, oferecendo campeonatos de moto- náutica, passeios de barcos e também a pesca amadora.
A Billings teve momentos de glória onde se podia nadar, pescar...
A realidade mudou, porque se esqueceram de evoluir sem destruir.
A mãe terra sabe que o crescimento é inevitável, mas temos que crescer pensando na manutenção da vida do planeta, para que as mais de 700.000 pessoas que vivem ao redor da represa não continuem gerando problemas ambientais, como o desmatamento e o esgoto doméstico, despejando monstros da poluição.
Mesmo com tantas agressões a natureza ainda resiste forte.


4º. setor: pólo cultural e Vera Cruz...
“Mazzaropi: ingênuo, simplório, campeão de bilheteria”

Desde o final do século passado a região do ABC configurou-se como a mais importante zona industrial dos arredores paulistanos.
Este processo implicou numa rápida urbanização que conduziu a uma problemática ambiental: poluição, carência de espaços verdes, impermeabilização do solo, etc.
Muitos dos problemas teriam sido evitados se não tivesse ocorrido este sangramento da mata Atlântica, quando quase toda a cobertura vegetal foi eliminada.
A natureza exerceu um papel relevante na produção dos espaços culturais da cidade por vezes favorecendo a sua ocupação, por vezes criando obstáculos e dificuldades.
Entre estas áreas verdes importantes cabe destacar: A cidade das crianças, a área verde da embalagem Matarazzo, família italiana que muito patrocinou a cultura na década de 70.
O primeiro parque temático brasileiro fortalece o turismo da região, o Parque Estoril: possui uma área verde que permite diversão, tranqüilidade, segurança e um eco turismo maravilhoso e com todas as indicações do parque disponibilizadas em braile para facilitar a inclusão social.
Em São Bernardo, também se encontra um grande diferencial turístico, no aquário doce com a maior exposição de peixes do país.

Vera Cruz!
Foi nesta companhia cinematográfica que surgiu uma
das mais importantes personalidades do cinema brasileiro: Mazzaropi, indiscutivelmente campeão de bilheteria até a década de 70 com seu universo ingênuo e simplório como a maioria dos filhos desta terra. Os brasileiros!
O sonho de uma indústria de cinema dura poucos anos e entra em declínio, mas apesar do pouco tempo de vida, a Vera Cruz formou uma geração de cineastas e profissionais de cinema que marcou época e mostrou a viabilidade do cinema brasileiro.
Hoje a Vera Cruz é tombada pelo Patrimônio Artístico e Cultural.
Toda essa influencia da imigração italiana acrescentou na cultura regional um grande agregador de massa: a comida, pois recebem na rota do frango mais de 25.000 pessoas por finais de semana para saborear este famoso Frango com Polenta, incluindo este fato no turismo cultural gastronômico.


5º setor: pólo AUTOMOBILISTICO...
“ CAPITAL SOCIAL DO BRASIL “
      
“LULA - LÁ”

Quando em 1º de janeiro de 1945 através da Associação dos Amigos de São Bernardo consegue-se emancipação do município,  acrescenta-se o designativo Campo aplicado a São Bernardo e surge o atual município de São Bernardo do Campo,  tendo como 1º prefeito Wallace Cokrane Simonsen autor da letra do hino de São Bernardo em parceria com João Silvério da Silva (João Gomes) fazendo a música.
Nas décadas de 50 e 60 do século XX, São Bernardo do Campo recebe o parque automobilístico então em grande expansão.
Desta forma, a indústria automobilística, autopeças faz com que esta cidade seja designada como a “Capital do Automóvel”, um dos principais pólos industriais do país.
Fortemente ligado à implantação da indústria de automóvel, o movimento atraiu para todo ABC grande imigração de italianos japoneses, mulçumanos e com a maioria desta população a “nordestina” que se tornou o elemento principal de formação em moderna força de trabalho industrial.

Estes trabalhadores são referencias importantes no crescimento do espaço urbano, pois não ajudaram apenas no ramo das indústrias, mas também na construção civil.
A atuação dos novos habitantes começou a constituir as primeiras iniciativas em educação política que atuavam nas fábricas e na organização dos sindicatos.
São Bernardo do Campo e todo ABC começou a ser conhecido nacionalmente como o berço moderno do sindicalismo, forçando as mudanças políticas, “talvez porque a necessidade faz o homem”, começando assim tempos novos, pois estávamos em plena ditadura, década de 70 e 80.
São Bernardo se torna a “Capital Social do Brasil”.
Nesta época surge um nordestino grande líder na luta sindical, o metalúrgico Luiz Inácio da Silva, LULA, o primeiro presidente da Republica vindo das massas populares.
Com esta nova política e incentivos do governo federal a cidade volta a crescer e gerar empregos.
Salve São Bernardo!
Cidade de gente forte, que luta por seus ideais e que faz do sonho uma alavanca para o futuro.
Povo que não se detém diante das dificuldades e segue sempre em frente.
O grande diferencial de São Bernardo:
Dar o primeiro passo sempre.
 
 “Por isso é que no peito bate mais forte o nosso coração”.

HINO OFICIAL DE SÃO BERNARDO DO CAMPO
 
MUSICA: JOÃO SILVERIO DA SILVA.
LETRA: WALLACE COCKRANE SIMONSEN

Salve São Bernardo
Pedaço do meu Brasil
Retomas o teu velho posto
Impávido e varonil.
Salve São Bernardo
Do Campo e do nosso lar,
Que vê o raiar da aurora
Dos contrafortes da serra do mar
Ó povo de são Bernardo
Salve a tua liberdade
A nossa bela vila
Volta outra vez a ser Cidade

Alerta a gente nossa
Tua canção vem entoar,
Cantando a grande vitória
Que nossa terra acaba de alcançar
Custou mais veio
A justa reparação
Nosso trabalho
Não foi em vão
Custou mas veio
A justa reparação
Por isso é que no peito
Bate mais forte o nosso coração

 
Ano do enredo: 2010
Título do enredo: Brasília, do sonho a realidade... Uma homenagem de São Paulo aos 50 anos da capital do Brasil
Descrição do enredo:

Intenção do Enredo

Brasília, “O Coração do Brasil”, completa no ano de 2010; 50 anos de existência. Nós da Escola de Samba Tom Maior não nos esquecemos desta data e inspirados pelos sonhos que moveram estadistas e gente do povo, que seguiram de mangas levantadas na construção da verdadeira capital do país, também nos mobiliza para esta justa homenagem.

Nós no carnaval de São Paulo entendemos que temos em nossas mãos um veículo de disseminação cultural poderoso, em âmbito nacional e internacional e tomados desta responsabilidade, buscamos sempre valorizar nossa gente, nossa cultura e o nosso país, com a felicidade de fazê-lo cantando e dançando ao ritmo  do samba.

A Capital Federal “Brasília” é um tema auspicioso justamente por sua concepção e também por sua realização única no mundo, mostrando que o Brasil é um país que foca o futuro sendo ousado, criativo e empreendedor.

Nosso enredo mostrará o início da saga com as belezas naturais do serrado e do Planalto Central, as levas de migrantes das mais variadas partes do Brasil buscando esperança, prosperidade e realizações, os sonhos de “J.K.”, a criatividade de Oscar Niemayer, Lucio Costa e Burlemax e enfim, uma cidade construída.

A gastronomia regional e a produção das Artes Plásticas destacam-se neste fervilhar cultural tão próprio de Brasília e provocam admiração e apreço aos que ali chegam. Por fim destacamos também a mística da região que promove as mais diferentes manifestações de fé e religiosidade como no Vale do Amanhecer, sem nos esquecermos de mencionar os variados festejos da cultura popular que permeiam o ano neste recanto tão peculiar.

Esta é a Brasília que queremos mostrar, não como cidade pré-fabricada de concreto e aço, mas sim, de gente e espaços para serem apreciados e valorizados. São Paulo e a Tom Maior te felicitam e, em sua homenagem mostra seu valor como cidade e povo, que, deve ser divulgado como um grande pólo de turismo e cultura em âmbito mundial.

Parabéns Brasília por seus 50 anos são os votos de São Paulo no Carnaval de 2010.

Roberto Szaniecki
Carnavalesco

Ano: 2017
Título do samba enredo: “Elba Ramalho canta em oração o folclore do Nordeste”
Compositores do samba enredo: Maradona, Turko, Ricardo Neto, Paulinho Miranda, Rafa do Cavaco, Celsinho Mody e Léo Reis
Letra:

Simborá mô
Hoje a noite é de luar
Meu cordel em poesia faz a festa no arraiá
No céu de estrelas, fogueiras de são João
Tem Asa Branca, salve o rei do meu baião
Eta povo festeiro que faz levantar…poeira
Coração cangaceiro, menina danada…guerreira
Ave Maria…vou seguindo em romaria
Ao “Padim Ciço” minha fé e devoção
Oh mãe divina faz chover no meu sertão

Nos palcos da vida…eu forroziei
Morte e vida Severina…folia de reis
Tem cavalhada, a ciranda risca o chão
Oí tum tum tum bate forte coração

E quando o vento sacode a cabeleira
Leva o meu canto retratando este lugar
No mexe mexe vem dançar a quebradeira
Tão brasileira é a festa popular
Frevo e xaxado causa o maior sururu
Vem ver meu boi na terra do maracatu
Eu tô…com saudades de tú meu desejo
Amor me faz um chamego, é hora de coroar
Estou…de volta pro meu aconchego
Nesse cortejo nordestino
Se avexe não, vem dançar

Esse forró tá gostoso, arretado demais
Puxa o folé sanfoneiro arrasta o pé rapaz
Elba Ramalho é a flor do nordeste
Sou Tom Maior em oração
Sou cabra da peste

 
Ano: 2016
Título do samba enredo: Travessias de Milton Nascimento. Todo artista tem de ir aonde o povo está...
Compositores do samba enredo: Maradona, Turko, Paulinho Miranda, Ricardo Neto, Celsinho Mody e Léo Reis
Letra:

O luar ilumina meu sarau
Em sinfonia numa travessia musical
Os araltos anunciam, nesta noite de mágia
Sob a benção do divino
Uma estrela então brilhou
Lá vem o trem uaí partiu pra Minas Gerais
Na fé em oração eu rezo pro meu sertão
Vento me leva em cada esquina
Mineiros da noite, a boemia
A melodia em seus acordes á bailar
"Tenho uma coisa pra falar"
De alma e coração, a música é minha paixão 

Se mandar me chamar . .  Eu vou
Diretas já . . . Amor
Iremos juntos plantar, pra juventude colher
Liberdade de um novo amanhecer

No compasso trilhou sua trajetória
Em duetos cantou uma linda história
Amor não chora
Vamos embora que chegou a nossa hora
Meu coração que um dia foi de estudante
No "cio da terra" marcante
Canção que o Brasil chorou
Amigo é pra guardar dentro do peito
Sou filho de maria e não tem jeito
De festival em festival
A vida é um baile magistral
Somos "Miltons" nesse carnaval

Sou Tom Maior e não nego minha paixão
E solto a voz carregada de emoção
Nos braços do povo
Canto seu talento, Milton Nascimento

 
Ano: 2015
Título do samba enredo: "Adrenalina"
Compositores do samba enredo: André Ricardo, Biel, Carlos Dorea, Marquinhos, Douglas Chocolate, Xande Wenner, Rafa do Cavaco, Imperial, Tião, Lucas Donato, Gabriel Sorriso e Rafael Santos
Letra:

A sirene tocou uma voz ecoou

Canta Tom Maior

A lágrima escorre de alegria

Transborda emoção na Avenida

Os olhos se cruzam no ar

Num doce bailar...Faz arrepiar

Quero sim, quero você sempre mais

Nasce um grande amor que não tem jeito

Nem com o tempo se desfaz

 

Deu medo! Me abraça! Mistérios no ar

O mal se revela pra te congelar

O clima é tenso, a todo momento

Um grito de susto se faz ecoar

 

Vai coração sem limites quero superar

Vale o risco, vale o grito

Eu aposto pra ganhar

É gol! O mundo aplaude meu show

 E a força que invade 

Leva o povo sempre a sonhar

Que a ilusão não acabou em cinzas

A fantasia traz a luz de um novo dia

Mais um desfile se encerra e a magia

Faz a comunidade acreditar

Vermelho, amarelo, minha vida, meu pavilhão

Graças a Deus o povo grita é campeão!

 

Chama outra nota dez que eu vou...Enlouquecer

Delirar, sacudir de prazer

Em Tom Maior a vitória me alucina

Explodiu Adrenalina

 
Ano: 2014
Título do samba enredo: “Foz do Iguaçu - Destino do Mundo a Sinfonia das Águas em Tom Maior”
Compositores do samba enredo: Maradona, Turko, Rafa do Cavaco, Celsinho Mody, Ricardo Netto e Igor Leal
Letra:



Clareou...
Uma alvorada de magia
Desperta amor...ao som da nossa sinfonia
Vamos viajar por entre as matas
Lendas, corredeiras e cascatas
Onde a bela índia se apaixonou
Revelando a fúria da serpente
A maldade fez presente
E quando o encanto se quebrou
Um paraíso enfim surgiu
Abençoado pelo criador
A maravilha do Brasil

Na dança das águas e vou me banhar
Lavar a alma na cachoeira
Ora yê yêo oxum proteja o meu pavilhão
E as águas da nossa nação

Olha o muambeiro trazendo de lá
No jeitinho brasileiro pro lado de cá
Na "amizade" dá prá negociar
É jogo de sorte ou azar
Gira a roleta...deixa girar
No cassino aposto a minha emoção
Levando a energia de Itaipu
100 anos de Foz do Iguaçu
Patrimônio cultural
És o parque nacional
Cenário perfeito do meu carnaval

Escute a voz do coração
Que nasce dentro do meu peito
Vou mergulhar na "Foz" da emoção
Sou Tom Maior e não tem jeito

 
Ano: 2013
Título do samba enredo: Parque dos Desejos – O Seu Passaporte para o Prazer
Compositores do samba enredo: Edmilson Silva, Serginho Ipiranga e Gonçalves
Letra:


Vamos viajar na imaginação
Ser feliz no "Parque dos Desejos"
Cada fantasia uma emoção
Pode se entregar não tenha medo
Veja o paraíso, um presente divinal
Onde o poder da sedução gerou o "Pecado Original"
Da pré-história a arte nos revela
O louco afã de uma era

No balanço desta onda, eu vou te levar
Em Roma brindar, luxúria
Fazer de tudo pra te enlouquecer
Só mesmo "Vênus" pra nos proteger

Já é madrugada…
Corpos se encontram ao luar
"Mil e Uma Noites" de amor
É bom viver e desfrutar
De coração à sensação
Num mundo de cores
Textura e sabores
Diversão é garantida
Seja prudente, previna-se então
Curta a vida com paixão

Me abraça, me beija, me faz delirar
Além da razão, amor eu vou te mostrar
A fonte do meu prazer, tu saberás de cor
Tom Maior

 
Ano: 2012
Título do samba enredo: Paz na Terra e aos homens de boa vontade
 
Ano: 2011
Título do samba enredo: “Salve salve São Bernardo, pedaço do meu Brasil – Terra Mãe dos paulistas!”
Compositores do samba enredo: Chiquinho LS, César Ramos, Dico Tom 30, Ricardo e J. Osasco
Letra:

Em nome do pai
Cruzou a mata o colonizador
Na trilha do grande guerreiro
Destemido caçador
De um grande amor
Dessa união, a terra-mãe nasceu
Solo explorado pelos jesuítas
No caminho do mar
Da imigração, a formação desse povo vencedor
Que nunca trabalhou em vão
Nesse lindo pedaço da nação

Uma catedral, era a natureza
Chora represa, a fonte da vida
Vamos pôr a mão na consciência
Pro futuro, preservar é a saída

É você, a cidade que embala as crianças
É você, pra cultura um “eco” de esperança
Ah! Quanta saudade
Do astro da Vera Cruz
Dá água na boca esse tempero
A força nordestina te conduz
Do carro tu és a capital
Berço moderno da luta social
Brilha... Lá no alto uma estrela
Brilhou- lá iluminando o nosso país
Quem lutou por um ideal
Sem medo de ser feliz

Meu canto vai ecoar...  Amor
Sou tom maior de coração
Bate forte no meu peito, São Bernardo
Nas cores do meu pavilhão

 
Ano: 2010
Título do samba enredo: Brasília, do sonho a realidade... Uma homenagem de São Paulo aos 50 anos da capital do Brasil
Compositores do samba enredo: Maradona, Amós TK, Claudinei, Ricardo, Luis Tinga, Darlan, Bruno Tomageski e Vinicius
Letra:

Eu vi brilhar

Um lindo sonho se transformar

Das mãos dos artistas eu ganhei

A imagem da modernidade

Um Eldorado eu sou

Com um futuro de prosperidade

Vieram para trabalhar

Candangos a miscigenar

Meu solo “cerrado”

E fez pulsar a vida com ares de mudança

Eu sou a capital da esperança

 

Gira baiana...

O meu tempero te convida a viajar

Vem se encantar...amor

Aqui é o seu lugar!

 

É meu orgulho

Ver brotar a musicalidade

A arte, com talento de verdade

Mostrando ao mundo meu Brasil

Na fé, eu sou roteiro para a devoção

Na romaria da religião

Tenho a energia dos cristais

Mistérios espaciais

Meu sonho real, eu quero extravasar

São 50 anos de Brasilidade

Distrito Federal, eu sou feliz cidade

 

A luz da minha alma

Reflete as cores do meu pavilhão

Amor que já não tem explicação

É Tom Maior no coração do meu País
Sou Brasília muito mais feliz

Notícias
 
Mais resultados para busca por: Tom Maior
0
SOSAMBA.COM.BR | COPYRIGHT © 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS